Todos os países
Presidente do BNDES vê exagero do mercado e garante contratos — Novidades e fotos no AllBiz Brasil
Todas as seções
All.BizBrasilNotíciasNotícias das empresasPresidente do BNDES vê exagero do mercado e garante contratos

Presidente do BNDES vê exagero do mercado e garante contratos

14  Se 2012 04:02 | Notícias das empresas

Um dia após os papéis das principais companhias elétricas derreterem na Bovespa como reação do mercado ao pacote anunciado pela presidente Dilma Rousseff, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, afirmou na quinta-feira que não houve quebra de contratos e que os analistas exageraram ao impor perdas de R$ 15 bilhões em valor de mercado às ações. Segundo ele, o governo federal optou por um processo em que serão examinados "caso a caso" os investimentos que não foram amortizados e que terão de ser indenizados.

Essa conta, disse ele, será feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) com "serenidade":

— A intenção do governo foi a de respeitar contratos, respeitar estritamente o sistema regulatório estabelecido. Muitas dessas concessões estavam em fase final de vencimento, e muitas delas já tinham sido amortizadas duas vezes — afirmou Coutinho, durante evento promovido pela Agência Estado, em São Paulo.

Sobre a avaliação dos analistas, Coutinho afirmou que eles deveriam ter acompanhado o debate para "precificar" as ações antes do anúncio das medidas pelo governo, que reduziu as tarifas de energia:

— Mas acredito que isso (a volatilidade) é da natureza do mercado. Uma forte desvalorização causou um choque nos preços dos papéis, mas depois a poeira começou a decantar.

Ontem, as ações do setor ganharam cerca de R$ 3 bilhões em valor de mercado. Entre os papéis mais negociados, recuaram as ações ordinárias (ON, com voto) de Copel, Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Cteep) e Tractebel. Já os papéis ON da Companhia Energética de São Paulo (Cesp) e da Eletrobras subiram 6,77% e 4,36%, respectivamente, enquanto Cemig PN avançou 4,98%. A real perda de receitas e o ganho com indenizações ainda não são calculados, mas analistas avaliam que houve exagero na queda dos últimos dois dias e voltaram às compras, o que explica a recuperação.

Fonte:  globo

Notícias da rubrica: Notícias das empresas

Compare0
LimparPosições escolhidas: 0